Filme Coringa: do cinema à psiquiatria – parte 1

Temos ouvido muito falar sobre o filme Coringa que está em cartaz nos cinemas. Esta obra prima, como muitos falam, tem despertado opiniões acaloradas e dilemas, sejam pelos aspectos científicos ali apresentados ou pela interpretação magistral de Joaquin Phoenix. Para além da imagem do filme, podemos colaborar com algumas reflexões relacionadas aos aspectos científicos.

  • Primeiro: o Coringa sofreu abuso físico e psicológico quando criança pelos pais. Aqui devemos esclarecer que uma criança exposta a qualquer tipo de abuso, pode, na vida adulta, desenvolver transtornos mentais, como: ansiedade, depressão, quadros psicóticos e dependência a álcool e drogas.
  • Segundo: seu riso descontrolado e sarcástico. Em umas das cenas há uma passagem subliminar onde o protagonista sofre uma lesão na cabeça quando preso a um aquecedor. Riso incontrolável ou inadequado pertence a uma condição neurológica rara chamada Síndrome Pseudobulbar. É uma alteração de circuitos neurais que podem ter origem em doenças como epilepsia, tumores cerebrais, doenças desmielinizantes (como esclerose múltipla e esclerose lateral amiotrófica) e sequelas de Acidente Vascular Cerebral, bem como em alguns estágios da doença de Alzheimer.

A arte do cinema pode nos levar a imaginar que o trauma na cabeça favoreceria o surgimento da Síndrome Pseudobulbar. Neste caso, a relação causal é pequena, mas nos faz questionar.
Se a causa das risadas são decorrência da Síndrome Pseudobulbar será interpretação pessoal de cada um. O que sabemos é que as situações sociais vividas pelo Coringa, a dificuldade das pessoas compreender este descontrole do riso (motivados por situações de estresse), as agressões recebidas por causa das risadas, reforça a criação do comportamento violento.

  • Terceiro: seria o Coringa portador de uma doença mental? Nas cenas de delírios e alucinações interpretadas por Phoenix podemos afirmar que sim, principalmente quando ele nos revela que interrompeu o uso de seus medicamentos controlados. A maestria da arte do cinema se manifesta quando o ator elabora e executa seu descontrole bem como seus delírios e alucinações vividos pelo personagem.

Para finalizar, ele é um Psicopata? A doença mental o tornou violento e agressivo? A Síndrome Pseudobulbar (risos incontroláveis) poderia ser a causa do comportamento antissocial? Iremos responder estas questões na parte 2 deste artigo.

Gostou deste artigo? Compartilhe! Somos uma clínica especializada em atenção à saúde mental e dependência química. Visite-nos nossas redes sociais ou entre em contato conosco, assim poderemos lhe orientar e ajudar na sua necessidade. Até a próxima semana!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest