Estima-se um aumento de 40% comparado aos adultos entre 15 e 19 anos.

Depressão e suicídio em crianças e adolescentes ainda é tabu. No começo de 2018 fomos surpreendidos com a notícia da perda de uma atriz mirim em decorrência de depressão. Em nossa clínica (Espaço Figueira Branca), frequentemente, recebemos informações de parentes e amigos de pacientes que conhecem algum adolescente que conseguiu tirar a própria vida através do suicídio. O tema é de suma relevância, pois o suicídio é a causa mais importante de morte nos pacientes com depressão.

Estimativa

Estamos vivendo uma epidemia silenciosa nos casos de suicídio no Brasil. O Ministério da Saúde em 2018 divulgou dados alarmantes que mostram uma taxa de 5,8 mortes de suicídio para 100.000. A maior causa se deve a enforcamento (60%), seguido por intoxicação exógena (18%). Para os adolescentes as informações não são precisas, mas dados recentes demonstram um aumento de 40% destas taxas comparadas aos adultos na faixa de 15 a 19 anos.

Como ajudar

Para fazermos frente a este desafio de identificar e encaminhar para tratamento, trarei algumas orientações que poderão nortear nossas ações.
Primeiro, existem alguns sinais de alerta para o suicídio que pais e cuidadores devem estar atentos. Eles são:

  1. Ameaças de suicídio- direto e indireto.
  2. Dicas verbais como “eu não vou ficar aqui por muito mais tempo”.
  3. Obsessão com a morte.
  4. Sentimento intenso de culpa, vergonha ou rejeição.
  5. Uso abusivo de álcool e drogas.
  6. Alegria repentina após um período de depressão.
  7. Irritabilidade.
  8. Alucinações ou pensamentos bizarros.
  9. Mudanças no padrão de comer ou dormir.
  10. Mudanças no desempenho escolar.

Segundo, seguem orientações para os adultos em como lidar com esta situação:

  1. Pergunte a criança ou adolescente se sente deprimida ou se pensa em suicídio. A melhor forma de prevenir é conversar sobre o tema.
  2. Deixe a criança ou adolescente perceber que você se importa e quer ajudar.
  3. Oferecer possibilidade de contato em casa à escola para em caso de necessidade a criança ou adolescente recorrer em momentos de crise.
  4. Procure ajuda profissional. Isto vale para pais, educadores e familiares que cuidam de adolescentes e crianças bem como orientar pessoas influenciadoras para que possam convencer os adolescentes a procurar ajuda técnica habilitada e capacitada a lidar com a questão.

A depressão e suicídio em crianças e adolescentes deve ser combatida. Nós do Espaço Figueira Branca temos o compromisso em divulgar informações corretas e adequadas para o bem-estar mental e proporcionar um local no qual você poderá receber o tratamento e acompanhamento necessário para quem você ama.

Quer saber mais? Entre em contato: (11) 3833-9620 / (11) 94743-7132.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *